Content

Consultório de psicologia traz sofisticação em madeira pinus e cores marcantes

Projeto desenvolvido pelo arquiteto Pietro Terlizzi, o ambiente de 20 m² transmite descontração e alegria

Desenvolvido pelo arquiteto Pietro Terlizzi , o projeto do Consultório de Psicologia da Equipe AT, localizado em São Paulo, no Conjunto Nacional, na Av. Paulista, é composto por sofisticação e excelente funcionalidade. O ambiente é compacto e possui 20 m² , onde foram implantados materiais e decorações que deixam o local aconchegante e harmônico. O azul e o amarelo foram utilizadas como cores predominantes.

“A proposta do projeto foi passar descontração e alegria para compensar a discussão dos temas abordados nas consultas de cada paciente, geralmente complicados. Então, utilizamos cores vibrantes e bastante madeira. A escolhida foi a pinus, pois é uma madeira clara que contrasta com as cores, atingindo o resultado entre um ambiente alegre e aconchegante”, explica Pietro Terlizzi.

Um belíssimo mural feito por Gustavo Vicentini foi implantado no ambiente, em homenagem a capital paulista e ao próprio grupo de psicólogos que geralmente atendem os pacientes em diversos lugares da cidade, como parques e praças. “A sala foi pensada exatamente como um espaço de descanso relaxamento da equipe, antes e após atendimento dos pacientes. Usamos elementos que transmitem sensações de relaxamento e descontração”, conta Pietro.

O espaço conta com uma mesa de reunião com tampo extensível, para comportar até 10 pessoas, uma tela para projeção de slides e pequenas palestras. Para descontrair, o local ainda possui frigobar, pufes, televisão e jogos.

Bem planejado o projeto se integra à arquitetura do Conjunto Nacional através de técnicas como paredes de drywall. Além disso, a parte elétrica foi executada em conduítes aparentes. Desta maneira, é possível desmontar todo o sistema caso o local precise ser reintegrado ao espaço original.

“A sala foi criada dentro de uma sala maior usada como coworking, que utiliza praticamente toda a planta do conjunto. Foram usadas paredes de drywall para fazer o fechamento e delimitar o tamanho da sala, aproveitando os eixos estruturais (das vigas) do edifício para definição da locação das paredes. Como um gesto de admiração da arquitetura original do prédio, o projeto fez questão de manter o pilar e as vigas originais aparentes e sem intervenções”, ressalta Pietro.

Além da sofisticação, técnicas de acústica e isolamento foram utilizadas. “Na parte acústica, usamos lã de rocha dentro da parede de drywall, aumentando o isolamento acústico da sala, além do piso vinílico com padrão amadeirado, que também contribui para a acústica. Essas medidas foram pensadas para manter o sigilo e discrição dos casos comentados”, explica o arquiteto.

Ficha técnica

Projeto e obra: Pietro Terlizzi Arquitetura
Luminotécnica: Yamamura
Piso vinílico: Persipiso
Marcenaria: Marcenaria MK
Tinta: Suvinil
Pavimento: 1
Tamanho: 20 m²

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.