O Brasil há tempos abandonou o modelo de transporte ferroviário em favor do rodoviário. No entanto, mundo afora, cada vez mais se explora o transporte sobre trilhos como alternativa mais prática e sustentável de conexão entre cidades e até países. Por Gustavo Curcio

Defensores da aparente rapidez do transporte aéreo geralmente desconsideram em sua contagem de tempo o (muitas vezes) exaustivo trajeto de deslocamento até os aeroportos, afastados dos centros das grandes cidades. O conforto é apenas um dos diversos pontos fortes do transporte ferroviário. Apreciar vistas panorâmicas em vagões modernos e com serviços de bordo de qualidade tem se tornado popular pela praticidade que a atividade oferece aos viajantes.

O aumento da popularidade dos trilhos tem movimentado esse mercado em diversas regiões do planeta. Empresas na França e na Alemanha, por exemplo, trabalham para aumentar a capacidade de operação e reduzir os valores dos bilhetes. Índices d setor apontam inclusive, que viajar de trem em alguns locais será mais barato do que por companhias aéreas low cost em 2021.

A procura por este meio de transporte tem crescido em viagens com roteiros elaborados que utilizam o trem não só como transporte, mas também como hospedagem. Percorrer as cidades da Europa, como Budapeste, Viena e Praga, por exemplo, fazendo paradas estratégicas e contando com guia especializado, passeios incluídos e hospedagem de quatro ou cinco estrelas são facilidades oferecidas pela agência brasileira especializada em roteiros ferroviários Trains & Tours Lufthansa City Center.

TENDÊNCIA MUNDIAL 

Na Suíça, os trens são o mais eficiente meio de transporte. A experiência pelas rotas panorâmicas do país, como a Glacier Express e o Chocolate Train, entram com toda a certeza para a lista de viagens inesquecíveis. Junto da eficácia e rapidez, outra vantagem de embarcar nos vagões é a grande oportunidade de conhecer detalhes dos países e explorar áreas maiores. Não é difícil combinar paradas sequenciais em Amsterdã, Bruxelas e Paris com tempo para apreciar o encanto das pequenas vilas e campos que acompanham os trilhos na Holanda, Bélgica e França, respectivamente. Outra opção é explorar a Espanha a bordo do Expreso de La Robla, transporte de época do lado de fora, mas moderno e luxuoso do lado de dentro. O trem, que vai de León a Bilbao em três dias, tem pub, bar, serviço de cabine e refeições com o melhor da culinária espanhola. Com estações bem localizadas, os trens são opções práticas de locomoção também em Portugal, e a rota entre Lisboa e Porto é a mais popular. Já na Itália, seja em trens de alta velocidade ou regionais, os trechos mais buscados levam turistas de norte a sul pelas encantadoras Milão, Florença, Roma, Nápoles e Veneza. No Canadá, a modalidade é perfeita para não perder nenhum detalhe da paisagem exuberante dos lagos e das montanhas cobertas de neve. Pacotes oferecidos pela agência incluem trajetos entre Toronto, Ottawa e Quebec, ou ainda um roteiro de 9 dias em caminho de tirar o fôlego entre Edmonton, Vancouver e Whistler.

UM ROTEIRO AFINADO 

START – Um dos maiores sonhos daqueles que são imbuídos de espírito livre é dar uma volta ao mundo. Mais enxuta se comparada aos 80 dias propostos por Julio Verne, a proposta da Trains & Tours Lufthansa City Center é compactada em 24 dias. Já na quarta edição, a “Volta ao Mundo de Trem” propõe uma verdadeira cruzada sob trilhos pelo hemisfério norte ao passar pelos continentes europeu, asiático e americano. De 15 de agosto a 7 de setembro de 2020, os passageiros percorrerão aproximadamente 16 mil quilômetros de malha ferroviária por 14 cidades do Canadá, China, Mongólia e Rússia.

TORONTO: O PONTO DE PARTIDA 

A façanha começa na cosmopolita Toronto, com um jantar no restaurante 360 da CN Tower, que proporciona vista completa desta que é a maior cidade canadense. A partir daí, o grupo percorre o cenário natural que se descortina pelas janelas panorâmicas do Trem Canadense num trajeto que atravessa as Montanhas Rochosas, passa por florestas de coníferas até chegar no Jasper Natural Park. Neste santuário verde, o lago de água azul cristalina do Maligne Lake promete momentos de êxtase. O Glacier Skywalk, uma plataforma suspensa de vidro, dará a impressão de caminhar sobre nuvens e poder apreciar de cima o visual dos desfiladeiros de neve. Já nos campos de gelo de Columbia, um passeio de snowcoach irá arrebatar aos amantes do gelo ao longo do panorama alvo do Glaciar Athabasca.

VANCOUVER 

O trecho canadense culmina em Vancouver, uma cidade de enorme mistura cultural por abrigar imigrantes de todas as partes do mundo, sobretudo da Ásia. No city tour, é possível visitar os famosos totens esculpidos em madeira no Stanley Park; o mercado público de Granville Island e suas lojas de joias, roupas, cerâmicas e artesanato; além de Gastown, um bairro histórico de atmosfera tipicamente inglesa. Daqui, como um oceano separa os continentes, um voo da Air Canada levará o aventureiro itinerante até o outro lado do mundo.

CHINA 

Embora cada dia mais moderna, a cultura milenar é o grande atrativo da China. Em Pequim, a tradição de antigos impérios se revela no Museu Nacional, onde se encontram mais de um milhão de relíquias do país. Lar dos imperadores das dinastias Ming e Qing, a Cidade Proibida serviu por 500 anos como o centro político do país. Antes acessível somente para a realeza, hoje está aberta a todos. O Palácio de Verão, por sua vez, é reconhecido por ter os maiores e mais conservados jardins do continente asiático. É tanta história e beleza que foi listado pela UNESCO como Patrimônio Mundial. Por falar nisso, nenhum programa pelo território chinês pode deixar de incluir visitação à uma das Sete Maravilhas do Mundo – a Muralha da China. Esta imponente obra arquitetônica construída para impedir a invasão das nações do norte, também está no roteiro.

MONGÓLIA 

Da capital chinesa, uma viagem de 36 horas atravessará as planícies do Deserto de Gobbi, onde se poderá apreciar o por do sol entre as montanhas e um céu repleto de estrelas ao anoitecer. No Parque Nacional Gorkhi Terelj, formações rochosas maciças entre vales com rio sinuoso deixam qualquer um fascinado. A investida por terras áridas ainda compreende uma visita a uma família nômade com acampamento em iurta, tenda circular característica do povo mongol. Já na base da estátua de Chinggis Khaan, existe um museu arqueológico onde se pode provar trajes representativos do país. O tour pela Mongólia ainda chega à capital Ulan Bator, que reserva, entre outras atrações, entrada ao Mosteiro Gandan, termplo budista de estilo tibetano, e a vista panorâmica do Monte Zaisan.

RÚSSIA ASIÁTICA 

A viagem, então, entra no seu trecho final quando adentra o território russo pela lendária Ferrovia Transiberiana. No entanto, ainda há um longo trajeto a ser percorrido, já que a Rússia tem dimensões continentais. Ao longo desse caminho, tão mítico quanto inspirador, o viajante pode contemplar as paisagens da Sibéria. O Lago Baikal – o maior de água doce do mundo – e o Museu Taltsy, em Irkutsky, deslumbram. Este último parece uma antiga vila com longas ruas, casas de madeira e moinhos aquíferos. Novosibirsk guarda uma joia artística, o Teatro de Ópera e Ballet, enquanto em Ecaterimburgo – nas proximidades dos Montes Urais, que separa Ásia e Europa –, a Igreja Sangue Derramado reconta os dias finais dos Romanov. Foi neste templo cristão ortodoxo, um dos monumentos símbolos da Rússia, que o Imperador Nicolau II e sua família foram executados, acabando com o czarismo no país.

RÚSSIA EUROPEIA 

Ao cruzar a divisa para a porção europeia, Kazan mostra na cultura todo o reflexo da mistura entre continentes. Num almoço tártaro, a gastronomia é um exemplo de combinações russas e búlgaras no uso de ingredientes, condimentos e temperos. Já nas edificações, o Kremlin da cidade – erguido sob ordens do czar Ivan, o Terrível –, é mais um Patrimônio Mundial da UNESCO que entra no roteiro como entretenimento imperdível. O outro Kremlin, esse a sede do governo russo, em Moscou, é mais um dos passeios obrigatórios ao se chegar na capital, que marca o fim desta jornada. Antigamente, um dos lugares mais fechados e temidos do mundo, hoje abre seus portões a fim de compartilhar com o público a grandiosidade dos seus jardins, museus e catedrais. A visão de painéis naturais que mais parecem quadros, maravilhas da arquitetura construídas pelo homem e convívio imersivo com famílias locais, além de almoços e jantares em que se pode provar sabores antes inexplorados, são experiências que, no fundo, trazemos como bagagem para a vida. Tudo isso é providenciado pela TT Travel em um planejamento minucioso que mostra o cuidado com segurança e bem-estar

*Os serviços contratados já incluem um guia brasileiro, que acompanha toda a viagem, bem como outros profissionais locais em cada parada. Além do mais, o pacote inclui 58 refeições, 14 noites a bordo dos trens em cabines confortáveis, com duas camas, e oito noites em hotéis de quatro ou cinco estrelas com a comodidade necessária para repor todas as energias.

MAIS INFORMAÇÕES:
Trains & Tours Lufthansa City Center
Site: http://www.voltaaomundodetrem.com.br
Endereço: Av. Santo Amaro, 4644, loja 5, São Paulo, SP
Telefone: (11) 4878-1085 
E-mail: relacionamento@lufthansacc.com

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.