Regiões que adotam tecnologias e soluções de smart cities atraem novos moradores e aquecem mercado, segundo especialistas da área. São Paulo, Paraná e Santa Catarina são alguns dos estados com iniciativas na área

Bairro Pedra Branca, em Santa Catarina. Foto: Reprodução/Cidade Pedra Branca

Tornar espaços urbanos mais conectados, sustentáveis, participativos, seguros e eficientes para os cidadãos é a premissa das smart cities — também chamadas de cidades inteligentes, em português. As cidades inteligentes são, antes de mais nada, localidades onde os cidadãos possuem mais qualidade de vida, o que gera um círculo virtuoso que inclui ambiente favorável para a instalação de novas empresas e atrai moradores. Uma das consequências disso, de acordo com especialistas, é que o mercado imobiliário é aquecido em regiões que adotam soluções “smart”.

“Um empreendimento localizado em uma área mais conectada e segura tende a ter um valor imobiliário maior. Isso cria diferenciação”, aponta Beto Marcelino, sócio-diretor do iCities, empresa especializada em soluções para cidades inteligentes. “Atualmente há diversos novos projetos de condomínios, loteamentos e bairros inteligentes no Brasil. O mercado imobiliário está começando a perceber maior valor em agregar conceitos de cidades inteligentes.”

Um exemplo é o bairro Pedra Branca, localizado em Palhoça, Santa Catarina. A localidade, que começou a ser planejada no fim dos anos 1990, é referência em sustentabilidade, modernidade e qualidade de vida. “Com o conceito de cidade inteligente, o bairro criou diretrizes de construções sustentáveis, ao mesmo tempo em que integra os edifícios com as áreas centrais de convivência. O bairro tem atraído grandes polos de inovação como a unidade Pedra Branca do Centro Empresarial para Laboração de Tecnologias Avançadas (CELTA), mais universidades, comércio e um novo estilo de vida para a região”, conta Marcelino.

O desejo em viver, empreender e trabalhar em um ambiente inteligente se tornou um negócio. O bairro Cidade dos Lagos, localizado em Guarapuava, na região centro-sul do Paraná, começou a ser construído em 2010 de forma planejada a partir de tecnologias e soluções das smart cities. Dentro dos 3 milhões de metros quadrados do megabairro — cuja área é formada por 40% de áreas verdes — é possível adquirir lotes para construções residenciais ou comerciais. Outro produto são os apartamentos do Residencial Cidade dos Lagos, prédio com tecnologias agregadas, como área para recarga de bicicleta e patinete elétricos e sistema inteligente de portaria eletrônica.

Outro exemplo nacional é o empreendimento O Parque Brooklin, em São Paulo. O projeto integra centro comercial e empresarial, espaço para gastronomia, áreas projetadas para usuários de bicicletas e a construção de um parque público de 10 mil metros quadrados entre os edifícios. “O parque integra o empreendimento à cidade, criando um ambiente agradável para que as pessoas ocupem o espaço, o que também promove uma maior sensação de segurança nos arredores”, diz Eduardo Mazzarolo, que é sócio do iCities ao lado de Marcelino e de Caio Castro.

Rua inteligente

 Em Curitiba, a Alameda Prudente de Moraes combinou tecnologia e economia criativa, transformando-se em uma verdadeira “rua inteligente”. Considerada a primeira rua interativa do Brasil, a alameda recebeu minúsculos dispositivos de tecnologia de localização — chamados beacons — capazes de transmitir para smartphones, via Bluetooth, informações sobre serviços existentes na rua. E o melhor: tudo ocorre automaticamente e não é preciso baixar nenhum aplicativo. O projeto foi realizado pela startup curitibana MCities, empresa parceira do iCities que é especializada em comunicação urbana, e adota soluções da chamada “Internet das Coisas”, com rede de tecnologia embarcada, sensores e conexão capaz de coletar e transmitir dados.

Alameda Prudente de Morais, no centro de Curitiba, é a primeira rua interativa do Brasil. Na imagem, QRCodes em uso. Foto: Cesar Brustolin/SMCS/Reprodução

Por meio de um pop-up no celular, quem passa em frente aos estabelecimentos da rua recebe informações sobre descontos e promoções especiais. A região também tem estações de patinetes compartilhados e calçadas amigáveis para os pedestres. Localizada na área central da capital paranaense, a alameda agrega comércio e residências, o que garante movimentação de pessoas durante o dia e à noite.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.