Saint-Gobain Brasil aumenta o volume de projetos com a aplicação de BIM Autodesk

0
140

Só no primeiro ano de adoção, capacidade de produção da empresa cresceu expressivamente. Em quatro anos, a quantidade de objetos em sua biblioteca BIM chega a mais marcas do grupo, agilizando a entrega de projetos.

A Saint-Gobain, multinacional francesa líder mundial em soluções de elevado desempenho, viu aumentar significativamente o volume de projetos desenvolvidos no Brasil em 2019 graças à adoção da tecnologia BIM (Building Information Modeling ou Modelagem da Informação da Construção) em sua biblioteca de objetos voltada para o público interno e também externo, como arquitetos, construtoras e outros profissionais.

Essa iniciativa inovadora levou a empresa a ser reconhecida no Prêmio de Excelência BIM em duas oportunidades, pelo Sindicato da Construção Civil do Estado de São Paulo (SINDUSCON-SP).

A aposta da companhia na metodologia BIM – que consiste em um conjunto de tecnologias e processos integrados tendo em vista a criação e a atualização de modelos digitais de uma construção de forma colaborativa – começou em 2011, com uma das marcas da gigante francesa, a Placo. Referência em soluções prediais, a Placo tinha como desafio aumentar a produtividade e reduzir erros quantitativos em seus projetos.

Na época, a solução foi criar uma biblioteca com os objetos de construção disponíveis a partir da metodologia de digitalização e padronização BIM,  que possibilitasse selecionar as tipologias de produtos a serem aplicadas nos projetos, de forma mais didática e prática,  e que permitisse experimentar o desempenho e qualidade dos materiais em cada fase do ciclo do empreendimento.  O foco era o público interno. Já no primeiro ano de adoção da tecnologia, a fabricante conseguiu mais do que dobrar a sua capacidade de produção.

Três anos após a implementação, em 2014, o mercado começou a requisitar o uso de BIM e a Saint-Gobain entendeu que para atender a essa demanda, deveria adaptar sua biblioteca às necessidades de seu público externo.  Para isso, lançou mão da metodologia de Design Thinking e realizou uma pesquisa para compreender como cada engenheiro, projetista, arquiteto, construtor e até mesmo consultores ambientais poderiam fazer o melhor uso das informações disponibilizadas e o que era essencial constar no acervo. A partir daí, a biblioteca BIM foi expandida para outras marcas da empresa, como Weber, Quartzolit e Brasilit.

Em 2015, a biblioteca atualizada foi relançada e seus objetos incluídos na Plataforma BIM Object. Em 2018 os movimentos para a disseminação das bibliotecas seguiram acelerados e as soluções foram incluídas na plataforma proprietária BIM Library Saint-Gobain. Por fim, no início deste ano, em uma ação conjunta com a ABDI (Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial) e alinhado com a Estratégia BIM BR do Governo Federal, os objetos foram publicados na Plataforma BIM BR, do próprio governo. Esta plataforma possui um conteúdo dinâmico sobre a Modelagem da Informação da Construção e hospeda a Biblioteca Nacional BIM (BNBIM), com o intuito de tornar-se um repositório público de objetos BIM no país.

Hoje a biblioteca BIM da Saint-Gobain já conta com novos objetos cadastrados em diferentes plataformas, entre produtos – com especificações como certificados, detalhes, materiais de desempenho e vídeos – e soluções adequadas a todas as regulamentações e normas do mercado nacional.

“Com essas informações, um projeto de grande porte que antes levava de 10 a 15 dias para ser atendido, hoje pode ser entregue em apenas 05 dias”, diz Douglas Meirelles, gerente técnico da Saint-Gobain no Brasil. “Com o uso da ferramenta Autodesk Revit, podemos aumentar nossa capacidade de absorver mais projetos e tornar nossa operação cada vez mais eficiente”, afirma o executivo.

Para o futuro, a Saint-Gobain espera ampliar o uso da biblioteca por conta dos esforços do governo para tornar o BIM uma diretriz nacional não somente em projetos, mas também em obras. Já em relação às novas soluções o próximo passo da empresa é a adoção e implantação da ferramenta Dynamo, que potencializa as funções do Autodesk Revit. “Certamente isso trará mais inteligência na ferramenta e aumentará a qualidade das informações e acuracidade nos materiais”, conclui Meirelles.

“É gratificante acompanhar como nossos clientes, e em especial a Saint-Gobain como líder mundial no mercado de habitat, alcançam benefícios significativos nos seus negócios com a adoção de nossas tecnologias. Especialmente neste caso, a aposta no BIM foi pioneira, o retorno expressivo e ainda há espaço para inovarmos mais”, afirma Fernanda Machado, especialista técnica da Autodesk Brasil.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.