Arquitetos relatam os pontos que consideram essenciais na hora de planejar, construir e decorar uma residência

Pequenos cuidados fazem a diferença em uma casa com idoso
Foto: Divulgação

Dia Internacional do Idoso acontece em 1 de outubro. As previsões apontam que em 2031 o número de idosos deve alcançar a marca de 43,2 milhões, superando o número de crianças e adolescentes e, em 2042, a população da terceira idade deve girar em torno de 57 milhões.

As quedas domésticas são uns dos principais motivos que resultam na hospitalização dos idosos. Dados do Ministério da Saúde mostram que 70% das quedas acontecem dentro de suas residências. Por isso é essencial que a casa seja preparada cuidadosamente para o morador. O projeto de arquitetura e decoração deve seguir orientações específicas para que segurança e beleza possam andar juntos.

Pensando nisso, o time de arquitetos Renato Andrade e Erika Mello, do escritório Andrade & Mello Arquitetura, Pati Cillo, à frente do Pati Cillo Arquitetura, e as sócias Bianca Atalla, Elisa Ju e Fernanda Mendonça, do Oliva Arquitetura, pontuam providências importantes para cada cômodo da casa de idosos.

Cuidados para os idosos

Nesta fase da vida, os problemas de visão costumam ser comuns. Desta maneira, uma casa com ampla entrada de luz natural facilita a vida do morador. “Portas e janelas devem ser generosas para oferecerem o máximo de luz solar dentro da residência”, conta Erika Mello.

Além da iluminação, o ideal é que as portas disponham de largura suficiente para a passagem do idoso com auxílio de andador ou cadeira de rodas, por exemplo. A orientação é sempre considerar um espaço de 90 cm e, caso não seja possível, não se deve considerar menos que 80 cm.

Uma iluminação uniforme e bem distribuída é fundamental para os idosos. As profissionais da Oliva Arquitetura indicam também a instalação de pontos de luz nos corredores e locais de circulação intensa. Além do teto, é importante uma iluminação direcional que auxilie o morador na locomoção noturna quando, por exemplo, ele acorde durante à noite para beber água. Essa cautela evita quedas e batidas inesperadas. “Outro ponto interessante no projeto luminotécnico diz respeito à instalação de sensores de iluminação, que por detectar a presença do residente, otimiza a vida dos idosos”, explica Bianca Atalla.

Neste tipo de projeto é necessário evitar desníveis, mesmo em pequenas escalas. Quando não houver a possibilidade de deixar todos os ambientes nivelados, é essencial prever sinalização indicativa para destacar a diferença ou considerar a colocação de uma rampa. No caso de escadas, a arquiteta Pati Cillo recomenda que a execução considere o assentamento e piso antiderrapante e a instalação de corrimão com altura de 90cm.

 Artefatos de decoração e moveis

Principal móvel da sala, o sofá precisa ser mais firme e duro, já que a coluna do morador da terceira idade deve ficar ereta. “Na hora de escolher a peça ideal para o projeto, busco por modelos em que o ângulo do idoso sentado esteja próximo à 90 graus e que os pés alcancem o chão”, Fernanda Mendonça.

O uso de tapete costuma ser um dos maiores fatores de quedas e acidentes. O arquiteto Renato Andrade afirma que a peça não precisa ser desconsiderada, mas que sua incorporação na sala deve seguir a utilização de materiais, medidas e posicionamentos corretos. Além da área de cobertura, o tapete precisa avançar cerca de 20 cm embaixo do sofá e outros móveis presentes na sala de estar. “Uma dica importante é fixar as pontas do tapete com fitas adesivas antiderrapantes”, complementa o profissional.    

Um cômodo cuidadoso

Sem dúvida, o quarto é um dos espaços mais utilizados pelo idoso. A altura da cama precisa dispor de altura adaptada para o morador. “Fazemos questão de acompanhar nosso cliente para experimentar os colchões e escolher a cama que esteja totalmente adaptada ao seu perfil”, revela Elisa Ju. Considerar a instalação de uma cabeceira agrega conforto para o morador apoiar as costas quando estiver sentado na cama.

Outro ponto de atenção redobrada são os criados-mudos, que devem ter cantos arredondados e com altura igual ou pouco acima do colchão para evitar batidas. Próximos ao móvel, iluminação, interruptor para acender e a apagar a luz e pontos de tomada são complementos valiosos. 

Medidas e alturas específicas

Quando a cozinha é projetada para uma pessoa da terceira idade, bancada e mobiliário devem apresentar alturas específicas. “Em geral, as medidas são mais baixas que o padrão”, completa Fernanda. Prateleiras e armários demandam instalação com altura média de 1,40m, de forma a proporcionar o acesso pleno. Ainda sobre as bancadas, a arquiteta recomenda a aplicação de cores claras, pois facilita encontrar os objetos.

Por se tratar de uma área molhada, piso antiderrapante é muito bem observado para evitar quedas. A arquiteta Pati Cillo indica que o uso de fogão a gás, em detrimento ao cooktop, é uma opção mais prática e impede acidentes como queimaduras.

Atenção no banheiro

É no banheiro que mais acontecem acidentes e o ambiente precisa ser adaptado cuidadosamente. A instalação de barras de apoio, piso antiderrapante no box e assento para banho são cuidados vitais. “Considero igualmente importante considerar a instalação de barras de segurança na área do lavatório e bacia sanitária, que normalmente é um modelo mais alto que o padrão”, completa Erika Mello.

Saber as necessidades e entender a rotina dos moradores é essencial para que o projeto seja bem planejado e garanta a autonomia de quem vai utilizá-lo. A funcionalidade sempre deve ser a marca registrada em todos os projetos e para todas as idades. 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.