Projetos

Limpo, sustentável e autossuficiente: conheça o sistema construtivo Lite, de Duda Porto

Sistema construtivo modular desenvolvido pelo arquiteto Duda Porto marcou a 33ª CASACOR São Paulo.  

Sistema construtivo nómade com estrutura metálica. Instalação executada em 40 dias para a mostra CASACOR São Paulo, no Jockey Clube.

Em sua segunda participação na CASACOR, em São Paulo, o arquiteto, urbanista e empreendedor carioca Duda Porto apresentou a casa Lite. Porto projetou  para a 33ª edição da mostra uma casa com 190 m², executada em apenas 40 dias. Trata-se de uma construção autossuficiente, modular e sustentável, de execução limpa e rápida. “A casa Lite nasceu da busca por menos excesso e mais essência. Acreditamos que a moradia é um ponto de encontro no movimento constante da vida. Um palco para a nossas relações com a natureza e com quem amamos”, afirma Duda.

Desenvolvido pelo profissional em 2013, o sistema Lite se baseia em uma arquitetura de planejamento e eficiência, em que cada detalhe é pensado para o melhor aproveitamento de material, transporte, integração entre o homem, a arquitetura e o espaço a seu redor. A ideia é buscar um equilíbrio perfeito entre natureza e habitante usando de tecnologias e linhas essenciais da arquitetura para criar um lar aconchegante e contemporâneo com o mínimo impacto ambiental. Apresentada como uma representação dessa ideia, a casa Lite traz um sistema modular que a torna nômade, podendo ser desmontada, transportada e remontada em qualquer lugar. 

Com uma mente inquieta em busca novas soluções, Duda afirma que esse sistema surgiu como uma solução para um novo jeito de morar. “Hoje, nos voltamos um pouco para o passado, com a ideia do nomadismo. As casas devem se adaptar às diferentes etapas da vida, sendo essencialmente flexíveis, sustentáveis e móveis”, explica.

O sistema em si

A casa Lite foi desenvolvida com a premissa de flexibilidade. Sua planta compreende um quarto, mas pode agregar até quatro deles, dependendo do desejo e tamanho da família, além de permitir a expansão da cozinha. A casa é toda feita com estrutura metálica, de steel frame, que dispensa a concretagem. Isso tornou a obra limpa, com um baixo consumo de água e pouca emissão de poluentes. 

O projeto compreende 120 m² de área interna e 70 m² de externa, resultando numa morada toda integrada onde a disposição do mobiliário cuida de delimitar as funções da casa. Sem barreiras, a casa é perfeita para comunhão e conversas entre amigos e familiares. Os pisos são revestidos com carvalho da Parket e o forro é de madeira, um revestimento único que une todos os espaços e reafirma a ideia de integração e amplitude. 

Desmontável, a casa Lite pode ser facilmente transportada para outros terrenos caso seja o desejo da família – ideia que vai totalmente de encontro com o tema da mostra, Planeta Casa, que compreende o lar como um universo particular de cada indivíduo onde as mudanças e conexões surgem e transformam o entorno e a comunidade. “Até mesmo a arquitetura da Lite é neutra, pensada para que o proprietário possa viver onde desejar – seja em um cenário urbano, de serra ou praia”, conta Duda Porto. Exemplo disso é sua parede externa de steel frame, revestida com pedra Miracema: detalhe charmoso do projeto, ela foi desenvolvida para ser revestida com produtos locais, adaptável de acordo com o destino da casa.

Execução em tempo recorde: controle de prazos, preços e construção

As imagens abaixo são capturas de tela do vídeo time-lapse que registrou a execução do modelo apresentado no Jockey Clube de São Paulo. A estrutura pré-fabricada e metálica foi rapidamente erguida no canteiro. Gradativamente foram instalados os fechamentos e acabamentos finais. Segundo o arquiteto Duda Porto, apenas a pedra natural, que se vê na base da estrutura da foto mais abaixo, é uma material extraído das proximidades do local de instalação do sistema Lite. 

Sustentabilidade

A Lite é exemplo de arquitetura afetiva e sustentável possível, com uma obra limpa e com pouco gasto de água. A casa conta ainda com sistema para captação de água pluvial e painéis solares da Vital, que são capazes de suprir boa parte da demanda energética. Sua arquitetura privilegia a ventilação cruzada, diminuindo a necessidade de condicionadores de ar. Como não poderia deixar de ser, todo projeto luminotécnico é de LED e conta com sistema de automação, garantindo conforto e economia. “A sustentabilidade está no essencial. Quando deixamos de construir o que não precisamos, focamos a energia no que é verdadeiramente importante”, afirma Duda. Apresentada durante a CASACOR, a Lite já conta com 20 unidades em negociação.

Interiores

Com móveis de design assinado, como os de Jader Almeida, além de peças de lojas como Dpot, Arquivo Contemporâneo e Collectania. Tudo em tons neutros, passeando pelos claros e madeirados, compondo um lar rústico, mas ainda assim muito sofisticado.

O jantar conta com uma mesa para até dez pessoas e a cozinha é toda composta com mobiliário planejado da Ornare. Para receber bem, conta com uma adega (Elettromec) e um pequeno bar. 

A estante serve como divisória para a área que abrange o quarto e a lareira (LCZ) traz todo o aconchego para os dias frios. Um pouco mais reservada, a área íntima tem parede de pedra natural (Pedra Lolinha) e a cabeceira (Ornare) aparece para trazer mais aconchego. Ali, uma obra dramática da Galeria Lume desponta como ponto de cor em meio a um ambiente sóbrio, em tons de cinza, preto e off-white.

As grandes esquadrias e portas camarão com muxarabi permitem que o lar seja banhado por luz natural e emolduram o verde do paisagismo assinado pela Landscape. Na área gourmet externa somos apresentados a mais um conceito modular. Ela é composta apenas por três peças, todas desenhadas por Duda Porto: uma pia, um braseiro e um apoio com armário foram pensados para poderem ser movidos e compostos de outras formas, reconfigurando o ambiente. Ali, o deck de madeira (Monumental) conduz pelo caminho de pedras.

Entrevista com o arquiteto Duda Porto

Como surgiu o sistema Lite?

Acreditamos que a moradia é um ponto de encontro no movimento constante da vida. É um palco para as relações com a natureza e com quem amamos. Quanto mais rápido o tempo passa, mais precisamos dar valor ao instante, a todo momento, em cada detalhe. O sistema Lite nasceu da busca por menos excesso e mais essência. É uma casa autossuficiente, modular e sustentável, de execução limpa e rápida. Se baseia na tecnologia e nas linhas essenciais da arquitetura para criar um ambiente aconchegante e contemporâneo, com o mínimo de impacto ambiental e o máximo de experiência sensorial. Lite é uma casa inteligente. Possui sistema de captação de energia solar que atua em todos os ambientes e não só produz toda a energia consumida pelos moradores como também armazena o excedente. Além disso, o sistema controla cortinas, ar refrigerado, áudio, vídeo, cenas de luz e até os eletrodomésticos. 

Quando nasceu a ideia do sistema?

2013 foi o ano em que a gente desenvolveu o primeiro modelo Lite. Era um momento em que o mercado ainda estava muito movimentado economicamente. Não imaginávamos a crise pela qual passaríamos. O projeto nasceu por acaso, diante de uma demanda de casas que deveriam ser construídas de forma rápida e eficiente. De forma muito natural, mas por conta do prazo de execução. As pessoas constroem coisas enormes que não serão usadas. Na época, a mão de obra estava escassa, todo mundo estava construindo. Tínhamos medo do prazo, do custo, do projeto, de todo o processo construtivo. Depois de construído, percebemos que as pessoas começaram a ver o projeto como o realmente essencial. Foi, de certa forma, um encontro com um desejo que elas não sabiam ter. Essa foi a nossa sensação. Aí nós entendemos que era um produto. Hoje, quando a gente expõe o sistema na CASACOR, notamos que as pessoas já estão buscando o essencial. Em 2013, elas não sabiam o que queriam. No ano seguinte, desenvolvemos o sistema Grou (nome adotado por ser o de uma ave migratória), que é baseado no conceito de módulos. Pensamos de trás para frente. Qual é o maior tamanho que consigo colocar no caminhão, 9 m x 3 m x 3 m, que pode ter um quarto, uma academia, um espaço? Hoje percebo que lançamos o Grou cedo demais. As pessoas não estavam preparadas. 

De que forma o escritório viabiliza estes produtos comercialmente?

Nós criamos a Móddulo, que vai comercializar a Lite. Casa invertida, com o quarto na frente, que pode crescer. O grande segredo é a estrutura metálica com duas grandes molduras metálicas, que servem como gabarito. Com esta estrutura definida, é possível liberar todas as alturas da casa. Nós criamos um kit, com todas as definições e medidas. A chave está na engenharia de projetar tudo com estrutura metálica. A viga de borda da casa limita todos os outros quesitos, como iluminação, instalação, fiação. Tudo deve correr pela viga. Com isso, cria-se um gabarito de infraestrutura e abastecimento que desenvolve esta arquitetura. É uma arquitetura que se adapta à diversidade do Brasil. É um projeto com Selo HBC (Healthy Building Certificate) de saúde e bem-estar, o mais novo pilar ao se projetar: ou seja, pensar no usuário. Eu preciso de um ventilação cruzada? Não. Eu preciso de ventilação cruzada para ter saúde, evitar problemas respiratórios. A chave do Lite é a simplicidade. Trabalhamos da forma mais simples, com maior conforto. Dentro do conceito do projeto, tudo é levado como definição preparada. O prazo é definido, o tempo é definido, a qualidade de projeto é definida. Existe uma assinatura e o entendimento da funcionalidade. 

Qual foi a equipe de profissionais que deu suporte para a execução da casa Lite? 

A IC Gerenciamento de projetos surgiu sem referências. É focada no gerenciamento necessário. IC significa informação e comunicação. Da mesma forma que a casa foi pensada para atender uma demanda, uma necessidade, a IC funciona. Planejamento, execução, logística, comunicação, informação. O escritório hoje, — chamamos internamente de aldeia —, consegue dar a atenção ao cliente de forma completa. A Vital, responsável pela execução dos painéis fotovoltaicos, é focada na gestão de consumo. É uma espécie de médico da casa. Você está doente? Se é uma construção que já existe, examinando a casa como um ser vivo, você enfrenta um problema crônico, um vazamento, um problema jurídico, ou um problema funcional. No Lite, essa questão se resume à energia. A energia solar, neste projeto, torna a casa autossuficiente. São 28 placas solares por módulo. A Móddulo, outra empresa do grupo, é responsável pela execução e entrega da casa.  

O que é inovação em arquitetura?

Inovar é tentar enxergar para onde estamos indo. A gente tem 20 anos de escritório. São 5 reuniões por dia com cliente. A gente acaba absorvendo a sensibilidade de entender os medos e anseios das pessoas. Inovar é gerar um desejo que as pessoas nem sabiam que teriam. Não falo de tecnologia, ou automação. O equipamento já existe. É essencial inovar a forma de pensar a casa. Trazer algo físico e palpável que materialize esse desejo imaterial. Feito isso, a missão estará cumprida. A gente não usa a inovação como algo futurístico e intangível, mas pensamos no próximo passo. Para inovar é preciso entender onde vivemos e o que precisamos.

Categorias:Projetos, Téchne

Marcado como:, , ,

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.