Sócio-fundador do escritório aflalo/gasperini Arquitetos, o arquiteto italiano Gian Carlo Gasperini faleceu na noite do dia 15 de julho, aos 93 anos. Gasperini fundou o escritório em 1962, na época com o nome Croce, Aflalo & Gasperini, junto com Plinio Croce e Roberto Cláudio dos Santos Aflalo. Do ponto de vista arquitetônico teve grande expressão criativa, influenciou e foi influenciado por importantes arquitetos do século XX. Uma pessoa que adotou o Brasil como lar, para onde veio com a família fugida da guerra no final dos anos 40 e resolveu permanecer após se entrosar com a geração de arquitetos que liderou a modernização da arquitetura brasileira como Niemeyer e Lucio Costa.

Graduou-se pela Faculdade Nacional de Arquitetura da Universidade do Brasil no Rio de Janeiro e mudou-se para São Paulo para trabalhar com o francês Jacques Pilon. Nos anos 60, começou a lecionar na Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo, tornando-se mais tarde professor titular. Nesse mesmo período, montou o escritório, que teve papel importante na arquitetura brasileira. Gasperini ainda lecionou na pós-graduação da Universidade de São Paulo e se dedicou à pesquisa na área de Projetos de Edificações.

Em 2010, recebeu o Título de Cidadão Paulistano e em 2015, foi homenageado pela Associação Paulista de Críticos de Arte (APCA) pelo conjunto de sua obra. Também recebeu títulos honoríficos como o “Croix Chevalier Mérite Commercial”, do Governo francês, e o GB “Cavaliere dell’Ordine al Merito dei la Republica Italiana”, concedido pelo Governo da Itália, além de ser condecorado como Cavalheiro Donato da Soberana Ordem de Malta.

Seus projetos de destaque como os Supermercados Peg-Pag e Pão de Açúcar, o Edifício Metrópole e o Centro Metropolitano de Compras (em colaboração com o arquiteto Salvador Candia), os Edifícios Pauliceia e Moreira Salles e o Peugeot, em Buenos Aires (anteprojeto vencedor do Concurso Internacional patrocinado pela U.I.A., em colaboração com o Plinio Croce, Roberto Aflalo e Eduardo Patrício Suarez), e tantos outros de seu escritório como o Tribunal de Contas do Município de São Paulo, os edifícios-sede da IBM e do Citibank, o Auditório Claudio Santoro, em Campos do Jordão, e o Credicard Hall, deixaram um importante legado que marcou a história do escritório e da arquitetura do país.

Com a morte dos sócios Plínio Croce e Roberto Aflalo em 1984 e 1992, deu continuidade ao escritório com os sócios da geração seguinte Roberto Aflalo Filho e Luiz Felipe Aflalo Herman. Em 2015, se aposentou do escritório. Hoje, Roberto e Luiz Felipe dividem a sociedade com Grazzieli Gomes Rocha e José Luiz Lemos.

Com 58 anos, aflalo/gasperini arquitetos segue produzindo projetos inovadores e sustentáveis, reforçando o legado pioneiro de Gasperini bem como seus princípios arquitetônicos.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.