Estudante do Mackenzie cria projeto de moradia para mulheres em Uganda

0
25

Criado por aluna de arquitetura, “Casa de Jajja” vai permitir que ugandesas criem modelo de moradia feita por elas e não por homens

No vilarejo de Kikaijo, em Uganda, é comum que os trabalhos de casa ainda sejam responsabilidade das mulheres. No entanto, essas casas que servem de local de trabalho para a ugandesas são feitas por homens, não por elas. E ninguém melhor do que elas próprias para saber do que precisam em termos de estrutura.

Pesando nisso, a aluna Mariana Montag, que acaba de se formar pela Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade Presbiteriana Mackenzie, criou um projeto para que as casas do local passem a ser pensadas e feitas pelas próprias mulheres, o que resulta em um espaço feito sob medida – delas para elas.

O trabalho rendeu o prêmio do concurso For a Better Future: The Winners of the International Competition ‘Beyond Bauhaus – Prototyping the Future. Durante vários meses, o programa a “Casa de Jajja”, aliada à organização Jajja Imaculada, vai desenvolver os projetos e instruir as habitantes locais com workshops sobre construção e design.

Por meio do projeto será ensinado que uma cozinha central pode ser separada da sala de estar com o uso de painéis móveis, por exemplo. Ou até que um determinado tipo de telhado pode ajudar na coleta de água potável, o que impactaria na renda doméstica.

Localizado na parte central equatoriana da África, Uganda é uma antiga colônia inglesa que, ao longo do século 20, sofreu com uma série de governos ditatoriais após o conturbado processo de descolonização. Durante esse período, o país mergulhou em violência e em deteriorações institucionais.

Como consequência, Uganda é um dos países mais pobres do continente africano, com índices altos de violência, mortalidade infantil e expectativa de vida de aproximadamente 50 anos. Os ugandeses, em média, vivem com menos de 1,5 dólares por dia.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.