A lógica frente-fundos norteou a implantação desta residência minimalista. Tijolos ecológicos, aberturas precisas e distribuição rigorosa de usos são marcas do volume em prisma. Os projetos civil e de interiores são assinados pela OCA. Por Pedro Zuccolotto. Fotos por Marcelo Donadussi

Localizada em Gravataí, Rio Grande do Sul, a casa RA tem estreita relação com seu entorno. “Quando recebemos o desafio de projetar esta casa, fomos até o terreno e percebemos que os dois vizinhos imediatos já estavam edificados”, contam os arquitetos da Oficina Conceito Arquitetura (OCA), responsáveis pelo projeto. Assim, a equipe concebeu uma residência com volume principal e distribuição racional de usos, conectada com a mata nativa nos fundos do lote. Mas a volumetria aparentemente ortodoxa esconde uma divisão não convencional do programa de necessidades, com terraço de lazer disposto na cobertura para a contemplação da visual do condomínio onde está inserida a residência.

Localização

Na face norte, dois pavimentos se erguiam junto da divisa sombreando grande parte do terreno. Já na face sul, uma casa térrea afastada da divisa se mostrava mais amigável. Ao fundo, uma área de preservação permanente de mata nativa. “Definimos que a casa teria exatamente a mesma altura do vizinho mais alto e que colaríamos a nova edificação na face norte para que o segundo pavimento pudesse ter a visual por cima da casa térrea existente”, explicam.

Organização

A casa foi organizada a partir da lógica frente-fundos, posicionando suíte principal junto da mata e o quarto das crianças na frente leste. Assim, na face sul restaram somente os banheiros e o dormitório auxiliar que por sua vez tem a vista para o vale. O térreo se integra totalmente com a rua e a mata, com janelas baixas e grandes aberturas. Balanços e redes fazem os moradores aproveitarem o frescor que é ter o jardim de casa conectado com a natureza. “Essa relação acaba despertando nas crianças um senso de preservação importante”, contam.

Materiais e tons

Toda a casa RA foi erguida com tijolos ecológicos aparentes e recebeu pigmentação escura na base e pintura branca no volume superior, tornando-o mais leve. Internamente o projeto de interiores tem tons neutros e prevê esta conexão com o entorno através das bay-windows que viram bancos para leitura e também das zenitais do jantar e da escada que trazem mais luz para dia a dia dos moradores.

Terraço social

Na cobertura, em vez do tradicional telhado, foi projetado um terraço com utilidades como forno de pizza e piscina. Assim, a família, que adora receber convidados para apreciar a vista e tomar sol, poderá organizar eventos prazerosos no ambiente.

Ficha técnica

Nome do projeto: Casa RA
Escritório: Oficina Conceito Arquitetura (OCA)
Equipe: Maurício Ambrosi Rissinger, Daniel Dagort Billig, Guilherme Nogueira, Tiago Scherer, Yasmin Feijó Jaskulski, Sophia Frantz Do Amaral, Victória Potrich Manfroi, Amanda Hoffmann De Abreu, Alice Bernardo Tremarin.
Localização: Condomínio Província Di Firenzi, Lote 34 – Gravataí/RS – Brasil
Área total construída: 168 m²
Execução: Bloccos Construtora
Quarto das crianças: Carolina Rocca
Marcenaria: D’Cor Móveis
Tijolo ecológico: Geobrick

Matéria publicada originalmente na revista aU.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.