Desempenho de janelas de alumínio à prova

0
4450

A convite da Tesis — Tecnologia e Qualidade de Sistemas de Engenharia, da Associação Nacional de Fabricantes de Esquadrias de Alumínio (AFEAL) e da Associação Brasileira de Alumínio (ABAL), Téchne acompanhou os testes de desempenho de caixilhos de alumínio em São Paulo. Texto por Aline Barbosa

Muitos produtos colocados à disposição dos consumidores brasileiros não cumprem adequadamente suas finalidades, comprometendo seu desempenho e durabilidade. A baixa qualidade destes produtos prejudica, segundo Vera Hachich, diretora da Tesis, “a isonomia competitiva entre os fabricantes, desestabilizando o mercado, os consumidores, que não têm suas expectativas atendidas em relação ao desempenho e à durabilidade dos produtos, e as obras de engenharia, pois as mesas são bens duráveis”.  Hachich conduziu uma visita aos laboratórios de teste onde o desempenho de caixilhos de alumínio foi testado.

Segundo a engenheira, diversos setores produtores de componentes e sistemas para a construção civil vêm conseguindo resolver os problemas por meio de Programas Setoriais de Qualidade, PSQs. “Estes programas objetivam garantir que os usuários terão à sua disposição somente produtos com desempenho compatível às suas expectativas e contribuir para a isonomia competitiva entre os fabricantes”, explica. Para que estes objetivos sejam atendidos, é necessário, segundo a equipe da Tesis, que sejam implementadas ações visando a normalização técnica dos componentes, com a especificação de requisitos mínimos, a avaliação da conformidade dos produtos utilizados em todo o país e o combate à não conformidade. O laboratório é creditado pelo Inmetro para a realização de 322 tipos de ensaios.

O Programa Setorial de Qualidade – PSQ

O Programa Setorial de Qualidade, PSQ, está alinhado ao planejamento estratégico da Afeal como principal ponto da valorização do fabricante de esquadrias de alumínio. Em 2018, a associação lançou as Fichas de Avaliação de Desempenho, FADs, que foram validadas e divulgadas no catálogo do Ministério de Cidades. O relatório publicado avaliou empresas fabricantes com sistemas próprios, além de 12 empresas multissistemas (atreladas), ou seja, aquelas que são avaliadas obra a obra, desde que as esquadrias sejam produzidas a partir de sistemas homologados pelo programa. Essa ferramenta permite a divulgação dos sistemas homologados para ajudar na especificação das construtoras, desde o início do projeto, para o atendimento à norma de desempenho NBR 15.575. Segundo o Resumo Executivo 2017-2018 publicado pela Afeal, “a lista contendo novos sistemas homologados pelo PSQ de Portas e Janelas de Correr reafirma que a utilização de sistemas homologados é fundamental para a participação ou o atrelamento dos fabricantes de esquadrias ao PSQ, seja como participante ou como fabricante multissistema”. O documento informa ainda que, durante este processo, foram avaliadas a resistência mecânica e o tratamento de superfície dos perfis, a vida útil de projeto dos componentes, além do desempenho potencial dos sistemas de perfil. O PSQ de Portas e Janelas de Correr de Alumínio foi implementado em novembro de 2017 por meio da ação conjunta da Afeal e da Abal, com gestão técnica da Tesis. 

Produtos avaliados pelo programa

O setor de esquadrias abrange diferentes tipologias de portas e janelas conforme a norma ABNT NBR 10821-1:2017 (Esquadrias para edificações). Os produtos-alvo da análise do PSQ deste recorte foram janelas de correr de alumínio para dormitórios e salas com duas, três folhas de vidro (1200 x1500 mm) e vidro na menor espessura de comercialização, além de produtos das mesmas dimensões, com persiana integrada. A qualidade das janelas é verificada “por meio da avaliação de amostras coletadas em auditorias periódicas e inadvertidas nas unidades fabris das empresas, adquiridas em revendas de materiais de construção, coletadas em canteiros de obra, ou coletadas em qualquer outro local passível de se obter o produto pronto para consumo”, explica Hachich. As amostras são submetidas a ensaios laboratoriais para verificação do atendimento da esquadria, perfis, acessórios e componentes aos requisitos especificados na norma técnica aplicável NBR 10821/2017. “A classificação da empresa fabricante de esquadrias participante do PSQ como qualificada ocorre mediante o atendimento dos produtos-alvo a todos os requisitos definidos da norma, aferidos pelo laboratório”, completa a engenheira.

Problemas ocasionados pela baixa qualidade de esquadrias

“O resultado final de uma esquadria de alumínio segue um processo complexo, de estudos, sistemas, projetos, ensaios e escolhas de componentes e perfis”. É o que garante Antonio Antunes, presidente da Associação Nacional de Fabricantes de Esquadrias de Alumínio.  “A janela pode ser discutida sob diversos pontos de vista”, explica Hachich. Para o usuário, traz luz natural, ar fresco e uma vista do exterior. Para o arquiteto e projetista, a janela corta a fachada, interrompe sistemas de divisórias ou tetos e requer detalhamento especial de suas interfaces com esses sistemas. “Para o construtor, a janela é um local onde vários materiais e componentes devem funcionar conjuntamente. Para o engenheiro de segurança ao fogo, a janela pode ser uma saída no caso de incêndio, uma trajetoria para a propagação de chamas ou uma fonte de oxigênio para o fogo”, explica. Segundo a norma NBR 15575, “Edificações habitacionais — desempenho”, a janela tem como funções fundamentais “ventilação, iluminação, conforto acústico e conforto térmico”.  Mas para que este elemento cumpra com estas funções, deve, necessariamente, atender às exigências de segurança, habitabilidade, durabilidade e estanqueidade. Infiltrações, vazamentos e escorrimentos de água na parte interior da edificação são resultantes, geralmente, de problemas relacionados à qualidade do caixilho. “Estes problemas podem ser gerados pela utilização de produtos em não conformidade, e têm como maior prejudicado o usuário final”, explica Fernando Rosa, gerente geral da Afeal.  

Testes realizados durante o Programa Setorial da Qualidade de Portas e Janelas de Correr de Alumínio

Manifestações patológicas em portas e janelas de correr de alumínio: atuação do PSQ

As portas e janelas de correr de alumínio que não atendem às exigências normativas poderão apresentar manifestações patológicas conforme mostrado na tabela a seguir. Para evitar tais problemas, o PSQ atua na avaliação da janela e de seus componentes produzidos pelas empresas participantes. FONTE: texto de referência do Programa Setorial da Qualidade de Portas As portas e janelas de correr de alumínio que não atendem às exigências normativas poderão apresentar manifestações patológicas conforme mostrado na tabela a seguir. Para evitar tais problemas, o PSQ atua na avaliação da janela e de seus componentes produzidos pelas empresas participantes.FONTE: texto de referência do Programa Setorial da Qualidade de Portas e Janelas de Correr de Alumínio, maio de 2019, tesis – Tecnologia e Qualidade de Sistemas em Engenharia.e Janelas de Correr de Alumínio, maio de 2019, tesis – Tecnologia e Qualidade de Sistemas em Engenharia.

Manual de operação, manutenção e limpeza de esquadrias de alumínio, guarda-corpos e fachadas — Afeal

A versão atualizada do documento está disponível para download para os associados da Afeal. O objetivo do manual é estabelecer uma relação didática entre o fabricante e o proprietário do imóvel ou usuário, para que este possa cumprir as operações de limpeza, manutenção e inspeção técnica, além de oferecer esclarecimentos sobre o desempenho e o tempo de vida útil dos componentes, materiais e sistemas construtivos especificados em projeto. O manual indica os prazos de inspeção técnica e o período máximo para substituição de cada componente da esquadria. 

Matéria originalmente publicada na revista Téchne.

0 0 vote
Article Rating
Subscribe
Notify of
guest

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments