Medidas de segurança buscam manter atividade segura com uso de máscara, reforço na higienização dos ambientes e orientação intensificada entre os operários

Sanitização das mesas do refeitório – obra do Porto Dourado 

Ao chegar, o operário vai medir a temperatura corporal e informar seu estado de saúde e de sua família. As máscaras, Equipamento de Proteção Individual (EPI) específico para algumas funções e locais da obra, agora entrou na rotina de todos. Antes, todos chegavam juntos para início do expediente, mas os horários escalonados vão reduzir o encontro com os colegas. A hora do almoço também passa a ser mais solitária. A equipe foi dividida em pequenos grupos e as mesas foram reposicionados para um distanciamento seguro. 

Essa é a nova rotina de trabalho nas obras do Grupo Toctao, que começam a ser retomadas conforme autorizado pelo decreto do Governador Ronaldo Caiado, nesta segunda-feira, 20 de abril. Ao completar um mês de paralisação, o setor da construção civil se preparou para atender as contingências da pandemia do coronavirus, que provoca a COVID-19. O Grupo Toctao direcionou esforços para criar um plano de retomada das atividades, seguindo as diretrizes da Cartilha da Câmara Brasileira da Indústria da Construção Civil (CBIC), orientações do Ministério da Saúde (MS) e também da Organização Mundial da Saúde (OMS).

“Nós começamos a adotar medidas de seguranças específicas dois dias antes do primeiro decreto, quando a situação de transmissão do coronavírus começava piorar. Com isso, no dia publicação do primeiro decreto, muitas delas já tinham sido implantadas, como instalação de mais lavatórios para as mãos, disponibilização de álcool em gel 70%, e demarcação de espaço em eventuais pontos de formação de filas”, detalha a gestora Ambiental e Coordenadora do SGI do Grupo Toctao, Cinthia Martins. 

De acordo com ela, as obras já estavam preparadas para retomada desde dia 6 de abril e outras mudanças foram adicionadas. Uma atenção especial ao refeitório foi dada. Além de dividir a equipe em mais turnos para o almoço, ao invés de self-service, a refeição agora é distribuída em marmitas para evitar filas e que todos peguem nos talheres para se servir. Houve delimitação do número pessoas que podem se sentar por mesa, com a indicação do espaço que podem ocupar, além de reposicionamento das mesas para que todos fiquem mais distantes. Quando um grupo sai, entra e equipe de sanitização do ambiente para fazer a limpeza antes do outro grupo ser liberado para a refeição. 

Mudanças também no registro de ponto. “Agora, ele dá o nome dele ao porteiro da obra, que está encarregado de fazer o registro”, explica Uekislei Gomes e Silva, engenheiro da obra do Porto Dourado, empreendimento da Vila Brasil construído pelo Grupo Toctao. Nos vestiários e sanitários, foram ampliadas as janelas de ventilação e criou-se uma porta só para a saída. 

Cada operário recebeu quatro máscaras de tecido e uma cartilha de orientação. Pela obra, também há placas informativas espalhadas para reforçar o cuidado com a higiene foram espalhadas pelas obras e orientam quanto a troca de bens pessoais como celular e equipamentos de proteção individuais. Elas também informam sobre os tipos de contágio do coronavírus e os procedimentos que devem ser adotados em caso de sintomas.

Sanitização, fiscalização e conscientização 

Segundo o planejamento do Grupo Toctao, todas as ferramentas, máquinas e equipamentos de uso manual são constantemente limpos e higienizados, antes e durante a execução dos trabalhos. O procedimento de limpeza para mesas de escritórios e bancadas de apoio também foi reforçado para pelo menos duas vezes ao dia. Com o auxílio de uma bomba costal, as mesas, assentos, pias, bebedouros e banheiros e vestiários, receberão sanitização pulverizada. “É uma medida simples mas muito eficiente que otimiza a desinfecção de forma rápida com água, detergente e água sanitária”, pontua Cínthia.

 Para garantir o cumprimento das novas condutas, foi criado um comitê de apoio ao combate à disseminação do coronavírus, composto pelos brigadistas de emergência da obra bem como pela Comissão Interna de Prevenção de Acidentes de Trabalho (CIPA) e outros profissionais que devem garantir que todas as novas medidas de segurança sejam seguidas. “O grupo foi treinado e deverá a todo momento apoiar na sensibilização e fiscalização, além de verificar adequação dos ambientes de trabalho, e a disponibilidade de materiais para higienização”, explica Cinthia.

Outro ponto destacado pela gestora é a mudança no formato dos Diálogos de Segurança Semanais (DSS). “Eles são muito importantes e será nesse momento que trataremos dos cuidados que devemos ter frente ao coronavírus. Por isso vamos fazer as reuniões com grupos menores, em lugares abertos e com o distanciamento recomendado”. 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.