O arquiteto Pietro Terlizzi dá orientações para criar um espaço de trabalho adequado e receber clientes em casa. Fotos: Guilherme Pucci

Projeto: Pietro Terlizzi Arquitetura | Foto: Guilherme Pucci

Com as mudanças nas relações de trabalho e o cenário econômico do Brasil, trabalhar em casa tem se tornado uma realidade cada vez mais comum. Segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o número de brasileiros que decidiu trabalhar por conta própria atingiu um dos maiores índices dos últimos quatro anos no primeiro trimestre de 2019. Entre os trabalhadores “independentes”, mais de 4,5 milhões geram ou complementam sua renda trabalhando de casa.

Seja para quem é freelancer ou para quem decidiu empreender, criar um escritório em casa representa um novo estilo de vida e uma forma de reduzir custos. Nessa tarefa, a decoração e a organização são fundamentais para o rendimento e também para o andamento dos negócios. “É preciso delimitar os ambientes para que o trabalho seja produtivo e o lazer mais aconchegante”, aconselha Pietro Terlizzi, arquiteto à frente do escritório Pietro Terlizzi Arquitetura.

Neste projeto, o profissional converteu o sobrado que pertencia à família do morador em sua casa e escritório. O andar de baixo acomoda os espaços de trabalho, enquanto a parte superior concentra a área íntima. “Fizemos adequações nos espaços e uma nova decoração, moldadas às necessidades atuais e com a cara do morador”, conta Pietro.

Confira algumas dicas do arquiteto para conciliar o espaço de trabalho dentro de casa:

Neste projeto, o profissional converteu o sobrado que pertencia à família do morador em sua casa e escritório. O andar de baixo acomoda os espaços de trabalho, enquanto a parte superior concentra a área íntima. “Fizemos adequações nos espaços e uma nova decoração, moldadas às necessidades atuais e com a cara do morador”, conta Pietro.

Confira algumas dicas do arquiteto para conciliar o espaço de trabalho dentro de casa.

Mobiliário e iluminação

Se há um espaço específico para o escritório, é possível usar mobiliário próprio para projetos corporativos. “Mas se os ambientes forem integrados, a melhor opção é selecionar móveis residenciais com linhas retas, além de cadeiras ergonômicas e confortáveis”, sugere o profissional. Já a iluminação para o ambiente de trabalho precisa ser clara, seja pela entrada de luz natural ou pela iluminação artificial fornecida por luminárias.

Na casa construída nos anos 1960, a antiga sala de jantar se transformou no escritório. A mesa foi substituída por uma mais apropriada para acomodar a equipe e a marcenaria foi projetada para dispor os equipamentos do escritório. O projeto de iluminação foi adaptado para maior produtividade: a luz natural que entra pela janela é complementada pelo pendente e por um trilho com spots direcionáveis.

Recepção dos clientes

Para quem também precisa de um espaço de recepção, é importante conciliar o residencial e o corporativo na decoração, para que o cliente se sinta confortável e ao mesmo tempo num ambiente profissional. “Ambientes organizados e sem objetos muito pessoais, como porta-retratos, são espaços apresentáveis para receber os clientes. Mesmo sabendo que está em uma casa, ele vai perceber o profissionalismo”, explica Pietro.

Mesmo assim, não é preciso deixar a personalidade de lado. No projeto do sobrado, o estar se tornou um espaço neutro, tanto para receber clientes e fazer reuniões, quanto para relaxar depois do expediente. A parede principal recebeu textura de cimento queimado e uma galeria com os quadros preferidos do morador, assim como seus instrumentos musicais. A porta e a parte embaixo da escada foram pintadas de amarelo e o sofá foi revestido com um tecido mais moderno, na cartela de cores do espaço.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.