O mercado do artesanato brasileiro é promissor, mas cheio de desafios. Atentos a isso e engajados no trabalho artesanal, um grupo de lojistas identificou a necessidade da criação de uma rede de profissionais empenhados na criação de ações conjuntas, buscando fortalecer e valorizar a arte e o artesanato popular do país. Especialmente com a pandemia mundial, necessidades específicas surgiram para os artesãos e comerciantes, e isso impulsionou a criação da Associação Coletivo de Fato.

Essa ação é inédita, criada por lojistas focados e alinhados às atuais necessidades, cientes de que são os principais agentes na cadeia de comercialização e conscientização do trabalho artesanal. Acreditando que só com a união dos comerciantes é possível modificar, alinhar e fortalecer ainda mais o papel nesta rede, a Associação Coletivo de Fato tem chegado direta e indiretamente em dezenas de milhares de pessoas, promovendo o empreendedorismo, a sustentabilidade e o futuro de muitas comunidades brasileiras que dependem do trabalho artesanal para sobrevivência.

Artesã do Vale do Jequitinhonha moldando flor de parede Créditos: Loja Paiol

O Coletivo de Fato fomenta o artesanato e sua economia produtiva através de uma série de ações, como as Compras Coletivas, Rodada de Negócios em regiões diversas, promovendo compras em maior quantidade para as comunidades, artistas e indígenas; descobertas de novos artistas e localidades; promoção de eventos em que o Artesão e seu trabalho  sejam sempre protagonistas, além do lançamento, em maio, do Marketplace, com produtos de todos os associados para que as pessoas tenham referência e comprem de lojistas que trabalhem com Respeito, responsabilidade e Ética.

Atualmente são mais de 30 lojistas espalhados pelo Brasil associados ao Coletivo de Fato, unidos para posicionar e dar vida a uma cadeia nunca antes promovida de forma tão inovadora, empática e justa para o lojista e artesão, elevando o status da Artesania Brasileira ao seu local de pertencimento. “Encaramos todas as dificuldades e estamos trabalhando visando ao aperfeiçoamento do comerciante e do artesão. O nosso diálogo com os artesãos, que sempre foi bom, agora com o Coletivo de Fato está melhorando e progredindo”, comenta Ochin Mosditchian, propiretário da loja Galeria Ponto das Artes e associado ao Coletivo.

www.coletivodefato.com.br

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.