Construção

Anápolis recebe primeiro complexo de uso misto voltado para o segmento de saúde

Projeto imobiliário contará com shopping, torre residencial, centro clínico médico e um moderno hospital que contará com consultoria do Sírio Libanês e trará serviços inovadores como atendimento domiciliar em saúde para moradores do residencial. Os investimentos serão da ordem de R$ 190 milhões

Gran Life Medical Complex

Anápolis se consolidou como uma das cidades mais competitivas do Estado de Goiás e do Brasil e tem atraído o interesse de grandes grupos econômicos do País. Com a terceira maior população de Goiás (cerca de 400 mil habitantes, segundo o IBGE) e o segundo maior Produto Interno Bruto (PIB) do Estado de Goiás, que em 2016, ficou em R$ 13,118 bilhões, representando 7,2% do PIB do Estado, a cidade integra o eixo de desenvolvimento Brasília-Goiânia-Anápolis, que concentra com seus entornos um PIB  de R$ 295 bilhões e reúnem 7,5 milhões de consumidores. Recente pesquisa da Urbam System classificou a cidade entre as cem cidades mais competitivas do País e apontou crescimento de 15 pontos no ranking dos melhores municípios para fazer negócios em 2018.

Devido sua forte atividade industrial, Anápolis também é a principal cidade importadora de Goiás, tendo concentrado quase 45% das importações do Estado entre insumos para produção de medicamentos, máquinas e peças automotivas, etc., no ano de 2018, conforme dados são da Síntese de Indicadores Socioeconômicos do Instituto Mauro Borges (IMB).

Todo esse movimento econômico insere o município na rota de grandes investimentos de diversos setores econômicos, um deles é o imobiliário. Atento a esse crescente potencial econômico de Anápolis o grupo empreendedor formado pelas empresas Atmo Desenvolvimento Imobiliário, ABL Prime, Queiroz Silveira Incorporadora e CRD – Medicina Diagnóstica, lança no sábado, 25 de maio, o primeiro complexo imobiliário mixed use de grande porte da cidade: o Gran Life Medical Complex, que traz para o município investimentos da ordem de R$190 milhões.

Serão quase 50.000 m² de área construída, onde será edificado uma home service – torre residencial com diferenciais na parte de serviços – um shopping, um centro clínico e um hospital de alta complexidade que contará com cooperação técnica do renomado Hospital Sírio-Libanês, de São Paulo e também do Grupo CRD que, aliado ao Sírio, oferecerá  apoio à toda estruturação da parte médica. O moderno mixed use ficará localizado na Avenida Goiás, ao fundo da Igreja Sant’Ana, no Centro da cidade.

Segundo o diretor de Novos Negócios da Atmo Desenvolvimento Imobiliário, Cleberson Marques, foram diversos fatores que atraíram o olhar do grupo e motivou o desenvolvimento do projeto para a cidade. Entre eles está forte industrialização da cidade, seu hub logístico, o perfil de renda de sua população, o crescimento educacional experimentado nos últimos anos e a constatação da carência na parte estrutura hospitalar.

“A intenção é explorar o grande potencial de desenvolvimento do mercado imobiliário com maior verticalização e inovação, que ainda não foi explorado, como aconteceu em outras cidades de médio porte com forte industrialização como, por exemplo, em São José do Rio Preto e em São José dos Campos, ambas em São Paulo”, enfatiza Marques.

A previsão é de que as obras sejam iniciadas já em novembro deste ano. A entrega está agendada para 2023.

Gran Life Medical Complex

Demanda de saúde

A cidade é uma das 18 regiões de saúde de Goiás, sendo referência direta para dez cidades vizinhas e indiretamente para outros 50 municípios que integram a acrorregião Centro-Norte. Atualmente Anápolis conta com cerca de 680 leitos, dos quais 85 são UTIs [Unidades de Terapia Intensiva], para chegar ao índice mínimo estabelecido pela Organização Mundial de Saúde (OMS) de 3 a 5 leitos médicos para cada mil habitantes, a cidade teria que criar no mínimo mais 1.200 leitos.

Assim, a iniciativa visa contribuir com o desenvolvimento da área de saúde de toda a região. O empreendedor Cleberson Marques destaca que o Brasil experimenta um desenvolvimento do setor de saúde alavancado pela iniciativa privada. Dados do estudo “O Setor de Saúde na Perspectiva Macroeconômica” – Período 2010/2015, realizado pelo Instituto de Estudos de Saúde Suplementar (IESS), realizado com base nos números da Conta-Satélite de Saúde Brasil, publicados em 2018 pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), revelam que os investimentos do setor privado com saúde somaram R$ 314,6 bilhões, o que representa 57,6% do total de R$ 546,1 bilhões gastos com saúde no País em 2015. Segundo dados da Associação Nacional de Hospitais Privados (Anahp), em 2014 o setor público investiu cerca de 3,8% do PIB em saúde, enquanto que a iniciativa privada investiu 4,5% do PIB no Brasil.

A tendência de verticalização também foi observada em estudos encomendados pelo grupo e será destaque no projeto, que conta com 17 pavimentos.Segundo levantamento, a cidade tem um índice baixíssimo de verticalização, somente 5,2% do total de residências são apartamentos. No primeiro raio de um quilômetro do empreendimento o índice de verticalização chega a 27%,representando menos de 1/3 da região central,  o que demonstra uma nítida vocação para verticalização na região. A pesquisa mostrou ainda que existe uma necessidade de mais de 14 mil unidades para locação de imóveis residenciais no raio de dois quilômetros e 132 mil unidades familiares na região, o que representa 1/3 da população da cidade, confirmando a demanda de mercado para instalação do empreendimento.

Hospital

Com modelagem feita a partir de consultoria do Sírio Libanês, o Hospital contará com infraestrutura necessária para o equipamento, tendo inclusive seus corredores de acesso todos adequados para facilitar locomoção.

O projeto, desenvolvido de acordo com a norma RDC-50 da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), com 7.459 m² de área construída,  prevê que hajam 80 leitos convencionais e outros 20 de UTI. Serão seis salas de cirurgia, sendo uma delas hemodinâmica. Haverá também área de pronto atendimento.

Outro destaque é a previsão de instalação de heliponto no empreendimento, que possibilitará agilidade no transporte de pacientes e de órgãos para transplante, por exemplo. A torre Medical & Business também terá elevadores de maca que permitirá a verticalização de pacientes entre as diversas clínicas e o hospital, além de permitir o acesso médico exclusivo é monitorado dos profissionais de saúde diretamente ao interior do hospital.

Medical & Business

Com 252 salas, a Medical & Business será mais do que um espaço para se instalar consultórios. Ela terá tecnologia agregada para otimizar o atendimento dos serviços de saúde. A partir de sua experiência full service de desenvolvimento de empreendimentos e gestão de shoppings e hotéis pelo País, a ABL Prime, outra sócia do empreendimento, haverá inovações para tornar mais eficiente o tráfego de pessoas e tornar mais confortável o tempo de espera das consultas médicas.

O empreendimento terá um moderno sistema de Enterprise Resource Planning (ERP), que integra todos os dados e processos de uma organização, permitindo as clínicas se integrarem ao complexo e compartilhar destes dados e dos seus benefícios, o que tornará mais prático que profissionais de saúde e seus pacientes façam o gerenciamento da agenda médica, desde a marcação da consulta, passando pela confirmação e até a chamada do paciente para o consultório, tudo por meio de um aplicativo de celular.  

“Dessa forma, o paciente não precisará esperar sentado e sem atividade até o momento de ser atendido. Ele poderá aguardar circulando pelo empreendimento, fazendo compras, passeando na praça de alimentação ou realizando algum serviço bancário, por exemplo, enquanto é chamado via aplicativo em seu celular”, pontuou Fernando Fonseca, da ABL Prime. Para quem não fizer uso do aplicativo, haverá uma recepção central no shopping para receber os pacientes.  

O ERP também possibilitará  salvar todo o prontuário médico do paciente por meio do cadastro no aplicativo, facilitando o acompanhamento e o tratamento com multiprofissionais que atendam no Gran Life e no hospital do complexo.

O complexo contará com oferta de serviços variados inseridos no programa chamado Gran Plus. Na área médica e business haverá serviços com como concierge, carro compartilhado, serviços de contabilidade, jurídicos e de faturamento que poderão ser contratados na modalidade pay-per-use.

O Gran Life também oferecerá de forma compartilhada os serviços e seguintes equipamentos: carregador para carros elétricos, salas para reuniões, ideoconferências e auditório; porte cochère; estacionamento com vallet, central de auto socorro (pneu e bateria), entre outros.

Home Service

A torre residencial foi pensada para atender às demandas recentes, tendo em vista o rearranjo familiar, de famílias mais compactas, e do aumento da longevidade do brasileiro. Para atender essa demanda, o projeto propõe o primeiro home residence de um quarto da cidade, oferecendo também unidades com dois quartos.

O destaque será para a praticidade, segundo outro sócio do empreendimento, o incorporador  Rogério Queiroz, da Queiroz Silveira Incorporadora, pois a integração com o complexo vai ampliar a conveniência para os moradores que poderão usar todos os serviços pagando somente pelo tempo de uso.

Um exemplo será a conveniência para os idosos que moram sozinhos, pois poderão ter a facilidade do Gran Sênior Care (tipo de serviço de atendimento domiciliar em saúde) do centro clínico integrado ao complexo, inserido no sistema de concierge.

O residencial, que terá acesso totalmente independente do hospital, da torre de consultórios e do shopping, contará com equipamentos como piscina coberta, sauna, churrasqueira, salão de festa, porte-cochère, academia, salão gourmet, brinquedoteca, playground, salão de jogos, home cinema e miniquadra (basquete ou futsal) e sistema de WI-FI nas áreas comuns e tomadas USB, além de ter um rooftop, onde será instalado um restaurante.

Como diferenciais haverá espaço de leitura, solarium, terraço contemplativo, ferramentaria, bicicletas compartilhadas, esporte bar, horta urbana, central de autosocorro (pneu e bateria) e serviços pay-per-use para lavacar, concierge, passeio pet, banho pet, personal, babá, faxineira e etc.

Tudo em um só lugar

Conectividade e compartilhamento são as palavras chaves do complexo imobiliário Gran Life que será construído em Anápolis, e que terá a saúde como foco principal. A proposta, conforme explica o diretor de Novos Negócios da Atmo Desenvolvimento Imobiliário, Cleberson Marques, é agregar diversos serviços que poderão oferecer facilidade e comodidade em um só lugar, tanto para usuários, como para profissionais médicos. Segundo ele, “ao investir no conceito de ter tudo em um só espaço, o projeto propõe a redução de custos e ganho de tempo gerando valor para o usuário, que contará com mais segurança, comodidade e conforto”.

Com 55 lojas, o shopping funcionará como o ponto de integração entre as áreas. Moradores do residencial terão acesso exclusivo ao centro de compras. Através dele, também se dará o acesso à torre Medical & Business e ao hospital.  Com localização no sexto pavimento do complexo, irá proporcionar um vista privilegiada da cidade, com uma recepção de triagem e área de espera com disposição de atividades, onde a intenção é oferecer uma espera mais agradável.

O shopping terá um Centro de Convenções no nono andar com dois auditórios que poderão ser utilizados para eventos diversos e contará com praça de alimentação, sistema de sonorização, sistema de circuito fechado de TV (CFTV) e estacionamento com vallet. A infraestrutura do espaço terá ainda central de carregamento de smartphones; tomadas USB; WI-FI na praça de alimentação e totens de pagamento para estacionamento.  

Ficha técnica

Endereço: Avenida Goiás esquina com Rua 1º de Maio, Centro, Anápolis-GO
Área terreno: 5.302
Área construída: 50 mil m² aproximadamente
Área construída do hospital: 7.459 metros
Número de leitos: 80 convencionais e 20 de UTIs
Área construída do shopping: mais de 5 mil m²
Número de lojas: 55
Unidades residenciais: 156 apartamentos de 49 a 77 m²
Salas comerciais: 252
Vagas de estacionamento: 656 no total
Investimento previsto: R$ 190 milhões

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.